segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

"HOHENSTAUFEN" - PANZER RECON

Esta cena mostra uma dupla de guerreiros do SS-Pz.A.A.9 ao lado de um dos veículos do Batalhão de Reconhecimento, preparando-se para para entrar em ação, com a missão de serem enviados para reconhecer as zonas de desembarques dos para-quedistas britânicos, nos arredores de Oosterbeek, na Holanda, em Setembro 1944. Observem o pavimento de rua feito em tijolos, bastante comum nas vias de acesso das cidades holandesas, na época da WW2.

O velho e bom kit da Italeri do SdKfz 234/1 foi usado para compor esta cena e representa um dos 10 carros blindados de 8 rodas, que fazia parte do SS-Pz.A.A.9. Usei 2 figuras do ótimo kit da DML/Dragon 6574 German Warriors e escolhi para a pintura do uniforme dos tanquistas, a do tipo de camuflagem comum das Waffen-SS. As figuras foram pintadas com acrílicos Tamiya e para a face e mãos, foram as usuais tintas à óleo Acrilex.

Esta é uma pequena amostra do que ainda será publicado futuramente no Blogdodiorama, uma vez que estou finalizando uma série de dioramas tratando sobre os principais fatos da Batalha de Arnhem.

*Clique na imagem para visualizar melhor.

*Foto, Figuras, Veículo e Texto por Fábio Cunha.

*Agradeço a sua Visita!!!

sábado, 21 de janeiro de 2012

BUDAPEST-1945

Para os líderes alemães, a área estratégica verdadeiramente vital da Frente Oriental no início de 1945, não era a concentração sovietica no Oder, que ameaçava Berlim, mas no entendimento deles e para a surpresa de todos, o perigo estava na Hungria, por causa do campo petrolífero e porque também acreditava-se que os russos pretendiam atacar Viena antes de Berlim. Na realidade os poços húngaros, a meses não produziam petróleo suficiente para abastecer as necessidades normais de um exército motorizado.

As principais refinarias que utilizavam estavam em Budapeste. Esta cidade é dividida pelo Rio Danúbio em Buda(oeste) e Pest(leste). Em 06 de Dezembro de 1944 a cidade foi designada como uma fortaleza (Festung) condição que exigia a defesa até o último soldado. A guarnição de Budapest somava-se perto de 79.000 homens, constituída de diversas unidades alemãs e húngaras. O cerco durou 102 dias, de 3 Novembro 1944 até 13 de Fevereiro de 1945.


Os exércitos soviéticos cercaram Budapeste no dia de natal de 1944 e após dias de luta muita intensa, desbarataram os defensores da parte leste, mas as forças à oeste da cidade combateram melhor e conseguiram manter uma defesa mais equilibrada.


As forças soviéticas avançaram na direção da parte Oeste da cidade e feroz luta de rua ocorreram entre 24 Dezembro de 1944 a 03 janeiro de 1945. O assalto final soviético sobre o que restava dos defensores na cidade começo a 30 de janeiro e finalmente a guarnição se rendeu em 11 de fevereiro. No dia 13 de fevereiro toda a resistência deixou de existir.


GERMAN 12cm GRANATWERFER 42:

Este morteiro alemão era uma cópia do modelo soviético e podia lançar uma granada de 15,5kg a uma distância de até 5.700 metros, tonando-se o melhor morteiro do arsenal alemão. É composto por uma guarnição de 8 homens com os seguintes encargos:

COMANDANTE DA PEÇA (CP): Comanda e Controla, supervisiona o embasamento, a pontaria, o tiro e todas as demais atividades da peça.


O APONTADOR (C-1): Fica a esquerda do morteiro onde ele possa manejar o aparelho de pontaria, os mecanismos de elevação e de direção do tubo. Registra os dados de tiro no aparelho de pontaria e aponta o morteiro em direção e alcance.

O CARREGADOR (C-2): Fica a direita do morteiro e de frente para o tubo, pronto para garregá-lo com uma granada. O C-2 auxilia o Apontador na pontaria do morteiro, nivelando na transversal o aparelho de pontaria. Ele é quem alimenta o morteiro de granadas.

O MUNICIADOR (C-3): Fica ajoelhado atrás do morteiro perto da placa-base. Prepara a munição para o tiro e passa as granadas prontas para o C-2. Existem ainda os REMUNICIADORES (C-4), (C-5) e (C-6): O C-4 realinha as balizas de pontaria sob a direção do C-2. Os demais, C-5 e C-6 auxiliam na colocação da peça, mantém o remuniciamento e ajudam na preparação da munição para o tiro. Em alguns quadros de organização, pode constar a figura do C-7 que é o motorista da viatura que transporta a guarnição, a peça de morteiro e as caixas de munição.

Vista geral do posicionamento da guarnição de uma peça de morteiro de 120mm alemã numa cena em missão de tiro. O kit utilizado é o DML/Dragon 6090 German 12cm Granatwerfer 42 Mortar w/ Crew. As figuras foram pintadas com acrílicos tamiya no tipo de camuflagem mais comum de ser utilizado pelas Waffen SS. Na pintura de face e mãos utilizei tinta a óleo da acrilex.


*Clique na imagem para visualizar melhor.


Agradeço a sua visita!

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

3th Panzer-Division, 5th Pz.Rgt.

Este profile colorido, mostra os detalhes da pintura e as marcas táticas e divisionais de alguns veículos da 3th Divisão Panzer, 5th Regimento Panzer durante a Campanha da França, em Maio de 1940. Serve como excelente guia de pintura e envelhecimento para os nossos modelos em escala de veículos militares alemães usados naquele período. É interessante observar que alguns desses veículos, com essas marcas táticas foram mais tarde, enviados ao Norte da Africa, para a Líbia em Fevereiro de 1941, para formar o núcleo base do famoso Deutsches Afrikakorps, DAK.

Este artigo encontra-se publicado na sua íntegra, na consagrada revista francesa de modelismo de militaria em escala da SteelMasters 109 de Janeiro de 2012. Para os amantes do período inicial da WW2, a edição do mês de janeiro da SteelMasters é altamente recomendada.

Só para constar: Aparece um interessante artigo, sobre o kit do Panzer I Ausf/C, da Hobby Boss.
A imagem é cortesia da SteelMasters.

*Clique na imagem para visualizar melhor.

Agradeço a sua Visita!!!