sábado, 20 de novembro de 2010

SCHWERPUNKT CAEN-Diorama

No começo de Julho de 1944, haviam sinais de que os alemães estavam promovendo a substituição das suas esgotadas divisões panzers por descansadas unidades de infantaria.
Os aliados não tinham conseguido capturar Caen ainda no "Dia-D" e desde então, os alemães passaram à reforçar as defesas da cidade, com os seus acessos transformados num forte sistema defensivo.
As aldeias nos arredores de Caen foram convertidas em fortins: Panzers entricheirados, canhões anti-carro autopropulsados, morteiros, ninhos de metralhadoras.....
Na defesa dessas localidades, foram colocadas tropas de infantaria reém chegadas, onde a 16th Divisão de Campo da Luftwaffe, foi uma delas e na defesa de Le Bisey, estava apoiada por blindados da 21th Divisão Panzer.
Na noite de 7 de Julho, a 3th Divisão de Infantaria Canadense apoiada por blindados da 33th Brigada Blindada, diante de um nada agradável fogo de morteiros e metralhadoras e o ribombar dos canhões anti-carro, mantinham o seu avanço rumo a LeBisey. A batalha prosseguiu no amanher do dia seguinte, em meio as ruínas da aldeia.
A 16th Divisão da Luftwaffe sofreram muitas perdas devido a um bombardeiro aéreo aliado, que produziu forte abalo moral nas tropas de um dos regimentos da divisão. Depois de uma dura luta de infantaria e com muitas baixas, o que restava da divisão, tiveram que deixar Lebisey.
Todos nós que gostamos de militaria sabemos que o segredo de um bom modelismo de dioramas é a imaginação. Para elaborar um diorama que descrevesse uma situação que poderia ter ocorrido nos arredores de Lebisey, procurei montar uma composição que ficasse completamente ambientada na reprodução de um bocage típico: Formado de um pequeno sítio, cercado de densa vegetação, que também recobria os muros de pedras às margens da estrada, o que deixava as casas de fazenda praticamente semi-ocultas nesse tipo de terreno.

A principal estrutura, a que praticamente forma o "fundo" do cenário deste diorama é um modelo em gesso fabricado pela Historic Dioramics.

O outro kit selecionado deste fabricante é o ítem HD-21 Muro Normandia I, que atende muito bem à idéia proposta para esta cena. Os muros HD-22 e HD-23 também são outra boa alternativa que ajudam a criar a impressão de terreno compartimentado, comum no bocage normando.
O problema de se criar um ambiente de fazenda, é selecionarmos, vários pequenos ítens....e pintálos separadamente: Rodas de carroça, antigos carrinhos de mão, ferramentas diversas, pilhas de lenha......enfim, é necessário uma boa quantidade deles. Detalhes que enriquecem o cenário. O mercado oferece alguns desses ítens, mas outra boa solução caseira é de contruir "scracht" alguns deles, tais como a roldana.....
Detalhes da lateral do prédio. Esculpido no estilo de construção muito comum de ser encontrado na normandia. Os detalhes adicionais, foram a inclusão da roldana e seu suporte, além das tampas de janelas, facilmente feitos com plasticard. Observe como os acessórios de fazenda contribuem para dar mais realismo à cena.

Visão superior da mesma lateral da casa de fazenda, mostrando que como é um kit em ruínas, nada melhor que fazer um telhado destruído! Para aqueles que não possuem muita habilidade em telhados, esta foto é uma boa referência de "como-fazer".....a dica é: palitos de fósforos, plasticard, supercola e paciência...muita paciência.
Prédios em ruínas consomem mais tempo de modelismo: É necessário também dar atenção na parte interna do prédio, adicionando detalhes tais como, estrutura de madeira do telhado, pisos, móveis, quadros de parede e entulho...muito entulho.....
...é claro, todos esses ítens devem ser bem selecionados e colocados no cenário de forma leve...sem exageros...o interior não pode ficar muito "pesado", carregado de acessórios. Acho que as fotos ajudam a explicar um pouco melhor. Cuidado em especial deve ser dado à pintura.
Outra parte do kit do prédio em ruínas que precisa ser adicionado um pequeno telhado: Incluí também uma calha rapidamente feito a partir de uma fina lâmina de alumínio e supercola. O cano que desce a calha é uma vareta plástica obtida de uma árvore de kit: cortada e lixada e depois moldada para que se ajuste no devido lugar com o auxílo do calor de uma vela. O portão é plasticard.
Visão na diagonal da parte frontal da casa de fazenda, mostrando os detalhes do beiral do telhado, feitas em plasticard, também usado na confecção das tampas de janelas. Para colar o plasticard, usa-se a mesma cola dos kits.
GERMAN 7.5cm PAK 40/1 Auf GESCHUTZWAGEN LORRAINE SCHLEEPER (f). Esse destruidor de tanques foi construído usando-se o Pak 40 de 75mm, montado sobre um transportador blindado francês, capturado pelos alemães, quando da queda da França, em Maio de 1940.
Apesar da blindagem ser muito fina, a conversão proporcionou ao armamento uma melhor mobilidade. Nesta construção em "scracht" o kit básico do Lorraine é da RPM, o tubo do canhão e mecanismo de disparo é da Tamiya e as placas blindadas da estrutura superior, frontal e detalhes internos tais como os cofres de munição foram feitas de plasticard.
As figuras dos tanquistas utilizei os de resina da Warriors.
Observe que a tactical marking do veículo foi pintada à pincel com tinta a óleo. A divisional marking é decal. As marcas identificam o veículo como sendo da 21th Divisão Panzer. No modelismo de militaria, as marcas sobre os veículos são detalhes que dão mais realismo aos modelos, apesar de sabermos que nem todos os veículos alemães tinham as Divisional/Tactical
Signs pintadas nos veículos.
Utilizei o set de figuras da DML/DRAGON 6084 e o oficial com calças tropicais é um remanescente do kit DML/DRAGON 6036. Os tanquistas são Warrior. Na pintura, as figuras receberam tinta acrílica Tamiya e o acabamento final foi com óleos.

Autoria do Diorama, Texto e Fotos: Fábio Cunha.
Agradeço a sua Visita!
*Clique na imagem para visualizar melhor.