sábado, 2 de janeiro de 2010

OS ALEMÃES CHEGARAM!!! Diorama sobre o DAK parte I

3th Batalhão de Reconhecimento, 5th Divisão Ligeira, DAK, Agedabia, Africa do Norte, 1941.




A aventura italiana na África do Norte, invandindo o deserto ocidental do Egito em setembro de 1940, transformou-se num desastre, passando os italianos por dificuldades sérias, quando em dezembro, os britânicos reagiram no Egito e eliminaram todo um exército italiano. A ação britânica prosseguiu rapidamente e em fevereiro toda a região da Cirenaica tinha sido capturada e com ela importantes unidades italianas.



Antes que a derrocada italiana na Líbia fosse total, com a ocupação da tripolitânia pelas tropas britânicas, provocando uma crise política de graves consequências para a Itália, determinou-se a intervenção de forças alemãs no Teatro de Operações Africano, com o envio de uma divisão blindada.


À 5th Divisão, iria juntar-se a 15th Panzer, formando assim um Corpo Blindado. Em seu comandante, Erwin Rommel, a tropa alemã constituiria em uma das mais famosas unidades militares da história, o DeutschesAfrikaKorps.



Diante de tropas britânicas enfraquecidas na linha de defesa, uma vez que o comando ingles retirou algumas tropas para serem enviadas para a Grécia onde já estava em curso uma operação de invasão dos Balcãns pelo exército alemão, elementos avançados do DAK, atacaram El Agheila em 24 Março 1941.




A 31 de Março, as posições britânicas em Mersa Brega foram rompidas....




Durante todo o dia a batalha continuou e nenhum contra-ataque dos britânicos aconteceu, possibilitando à 5th Divisão Ligeira de se reunir para um esforço final, eliminando os britânicos das posições que ocupavam. Os alemães finalmente chegaram para lutar no deserto e os ingleses surpreendidos, passaram a não aceitar a batalha. Seria assim...aonde os alemães arremetiam, os ingleses cediam...seria assim....no início sim, mas não por muito tempo....




Este meu trabalho marca o início de uma série de dioramas que apresentarei neste meu blog, sobre a campanha do deserto. A cena em questão, procura passar uma idéia sobre o início das ações ofensivas alemãs, naquele Teatro de Operações.



Trata da tomada de Agedabia em 2 de Abril 1941. Com a ocupação desta cidade, caem em poder dos alemães as boas nascentes de agua potável, daquela parte do deserto. Diante de um Kubelwagen da Italeri e de um SdKfz 232 da Tamiya, oficiais procuram no mapa a localização das fontes de água da cidade. Os veículos pertencem à vanguarda do 3th Batalhão de Reconhecimento, já dentro da cidade líbia de Agedabia, recém abandonada pelos ingleses em fuga. Um posto de Comando (PC) de nível de Batalhão de Infantaria, montado dentro do albergue, com equipamentos intactos, indicam a pressa que os ingleses estavam em deixar a cidade.



A tonalidade de cor da areia variava tanto que em muitos lugares a variedade era muito próxima de uma localidade para outra. O conhecido historiador militar e profundo conhecedor do deserto africano, Paul Carrel, em sua obra literária "AfrikaKorps", mundialmente lida, definiu que..." a areia tinha uma cor de ferrugem..." Partindo de uma base de tinta acrílica de cor marrom-claro, pintei sobre uma mistura já seca de areia+cola branca+água e depois desta tinta já ter secado, usei diferentes tons de giz pastel para tentar executar esta difícel tarefa, que é a de reproduzir uma cor apropriada para a areia do deserto. (O giz pastel precisa ser ralado com a granulação bem fina até ficar um pó).

A guerra do deserto foi travada numa vasta arena de areia e pedra e mesmo nesta vastidão desértica, as poucas cidades com as suas edificações estavam localizadas próximo da costa. A Cirenaica, em particular, é uma região que possui uma boa quantidade de cidades. Para elaborar esta cena, esculpi uma peça de gesso, que representa um Albergue típico do Oriente Médio.



Todos os elementos que envolvem o ambiente desta cena foram montados em torno do prédio. O kit de gesso contém uma dezena de peças que foram montadas e pintadas e procurei fazer o interior bem detalhado e a edificação em si, ocupa um espaço razoável no diorama. Depois de ser cuidadosamente colado com cola branca e as eventuais frestas terem sido preenchidas com massa acrílica, foi facilmente pintado com acrílicos da Tamiya e tintas a óleo acrilex. Depois do processo do Washing, o conjunto todo foi finalizado com um leve "blend" de diferentes tons de giz pastéis.


Esta postagem é constituída de 3 partes. Continua na parte II.


Diorama, Texto e Fotos, por Fábio Cunha.


Agradeço a sua Visita!!!


*Clique na imagem para visualizar melhor.