sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

OS ALEMÃES CHEGARAM!!! Diorama sobre o DAK parte final

Em se tratando de dioramas sobre o deserto, não se pode deixar de não incluir....as palmeiras...elas são a "cara" do deserto...desde que se tenha o cuidado de selecionar a palmeira correta!!! Existe uma variedade muito grande de espécies de palmeiras, mas a espécie mais comum de ser encontrada no deserto africano possuem formas adaptadas aos ambientes escassos da precença de água: A altura média é baixa, entre 3 a 5metros (1/35: 8cm a 14 cm) e o tronco é grosseiro e com várias cascas grossas sobrepostas (que serve para diminuir a transpiração da planta) contribuindo para a retenção por mais tempo da água para a planta, que ocorre na época da estação chuvosa, no deserto.


Existem muitos artigos na net que ensinam sobre como fazer palmeiras, embora existam no mercado, alguns fabricantes de palmeiras (de qualidade duvidosa) onde algumas plantas são compatíveis para ser utilizadas na escala 1/35. Mas todo o modelista de dioramas deve estar ligado para não ser "induzido" a acreditar que todas as palmeiras são iguais e portanto, podem-se usar em qualquer lugar! Não..não...não é bem isso! Vamos prestar atenção gente! Também não dever ser "distraído" o suficiente, para construir uma palmeira entre 20 a 28cm de altura, de tronco estreito e liso, fazer uma cena qualquer e colocar alí...um soldado alemão! OOppss!!! Isto é quase tão ruim e amador, quanto fazer um diorama do D.A.K com um tanque Pantera.....(!)


Uma palmeira com essa medidas e formas, normalmente atingem uma altura real de 7 a 10metros e são espécies vistas nas ilhas do pacífico ou Vietnã, porque são plantas que se desenvolvem em um clima quente e úmido, próprias de regiões de chuvas abundantes. Assim essa palmeira, tal como o tanque Pantera, não tem nada a ver com o Deserto Africano.....


Existem várias formas de construir uma palmeira, podendo ser alterada conforme a experiência de cada modelista. Em palmeiras tropicais é comum utilizar entre 10 a 12 a quantidade de folhas. No deserto, a quantidade de folhas na copa das palmeiras é maior...e folhas um pouco menores também aparecem na base do tronco, junto ao chão.


As 3 palmeiras usadas neste diorama possuem alturas diferentes, isso em função da composição da cena e basicamente foram construídas a partir de um pequeno ramo estreito e desidratado de roseira. Passei massa acrílica para engrossar um pouco a espessura do tronco. Na extremidade da copa usei da mesma massa acrílica para moldar o topo do tronco onde brotam as folhas, que é mais delgada e foram feitas de papel e fixadas com cola instantânea. Utilizei entre 18 a 20 folhas para cada palmeira.


Tenho que insistir com as palmeiras ainda mais um pouco. Como preferência pessoal, o acabamento das que aparecem neste diorama, ainda não me agradam. Na pintura, comecei com acrílicos da Tamiya XF-62 bastante diluído em água e finalizado com óleos acrilex.


Símbolos da precença inglesa na cidade de Agedabia: Placas de trânsito com marcas típicas do exército britânico indicando postos de abastecimento, depósitos diversos, QG's....feitos à mão-livre ou letra-set, ajudam a conferir mais realismo à cena do diorama.


Restos de destroços à margem da guerra: Para reforçar a impressão que a cidade de Agedabia tinha sido apressadamente evacuada pelas tropas inglesas em fuga, incluí no diorama, diversos ítens de equipamentos britânico, de forma a ficar abandonado nas margens da estrada. O HD-13 Arame Farpado, foi mais uma vez usado para retratar o "clima" de guerra.


Adicionar uma boa quantidade de vários acessórios e procurar ser minuncioso nos detalhes, ajudam o modelista a recriar uma atmosfera bastante autêntica, deixando a cena do diorama o mais próximo possível daquilo que realmente existiu ou foi vivido.


Sempre é bom lembrar que a inclusão de detalhes num diorama, tais como caixas de munição, jerrycans, mochilas....não pode ser feita de maneira aleatória, ou somente para cobrir os espaços vazios da cena......


...mas deve sim, ser feito sempre de maneira conveniente com a temática proposta para a cena e tendo o cuidado de se manter tudo em equilíbrio, ou seja, o lay-out da cena.



DIORAMA, FOTOS E TEXTO: Por Fábio Cunha.




"NÃO FAÇA CÓPIA...INCENTIVE A SUA CRIATIVIDADE!!!


Agradeço a sua Visita!!!