domingo, 10 de janeiro de 2010

OS ALEMÃES CHEGARAM!!! Diorama sobre o DAK, parte II

As figuras são de resina de diversos fabricantes, tais como Warriors, Alpine, Verlinden....sendo que algumas tiveram a sua postura modificada. Receberam pintura acrílica base e foram finalizados com óleos acrilex. Na pintura da face e mãos, os óleos foram diluídos em terebintina e pintados a pincel pêlo de marta #2 e #0.


As primeiras tropas alemãs em África, receberam equipamentos desnecessários ou pouco adequados. Todas as figuras deste diorama estão usando o uniforme do DAK, característico daquele período inicial: O conjunto padrão europeu revelou que o uniforme era mal desenhado, a jaqueta era muito justa, os culotes restringiam os movimentos e quando em uso, o "capacete tropical" protegia apenas do sol, menos dos estrilhaços das explosões....

O uniforme europeu em África: Os culotes estreitos no joelho, para se abotoar os canos longos das botas, eram de uso comum nos soldados neste período inicial da luta no deserto. As botas e os culotes eram muito desconfortáveis no deserto e logo dava-se um jeito de serem...."descartados".


A disciplina das roupas eram menos rigida no deserto do que em outras frentes de combate. Por motivos óbvios, em África, o Black Panzer Uniform, deixou de fazer parte do uniforme dos tanquistas.



Os primeiros veículos do DAK a chegar, eram pintados em "overall Dark Grey". No início de 1941, a Wehrmacht não possuia tinta apropriada para as condições climáticas africanas. Como solução temporária, os veículos foram borrifados com óleo, sobre o qual se espalhou areia.....



Este "Afrikano" SdKfz 232 é o velho e bom kit da Tamiya de referência 35036. Recebeu um tratamento de pintura para que mais se aproximasse com o visual dos veículos do DAK. Após um primer de tinta enamel de cor neutra, que pode ser um cinza claro RLM02 da Testors, foi aerografado em overall XF-24 e micropintado de XF-59 a pincel #2. Depois de seco, recebeu uma capa de verniz acrílico incolor fosco. Após respeitar o tempo de secagem, recebe um intenso processo de whashing com óleos raw umber, burt sienna, titanium white, yellow ocre e black, aplicados em diferentes quantidades até obter um resultado satisfatório. Foi finalizado com vários tons de giz pastel seco aplicados em pó.


O kubelwagen da Italeri (kit#312) recebeu tratamento semelhante ao do SdKfz 232, para ficar com a "roupagem" do DAK.


Veículos pequenos e abertos, assim como aparece neste kit do kubel da Italeri no meu diorama, para ficarem interessantes na cena, precisam ser "carregados" de acessórios...mas sempre valendo o bom senso do modelista na seleção dos ítens e procurando respeitar a noção de manter o equilíbrio da cena, evitando carregar exageradamente o pequeno veículo....(!)



Os primeiros veículos alemães a chegar na África do Norte faziam parte do 5th Regimento Panzer, da 3th Divisão Panzer. Este regimento foi o núcleo, onde foi organizada a 5th Divisão Ligeira, para uso em África. Mais tarde, durante a Campanha do Deserto se desenvolvia, seria reformada e fortalecida em seus efetivos e veículos, passando a ser nomeada, 21th Divisão Panzer.


A 5th Divisão Ligeira não adotou nenhum símbolo específico em Africa. As divisional markings dos veículos foram pintadas a óleo e pincel e identificam a unidade de origem, 3th Divisão Panzer.


A bandeira nacional alemã, facilmente reconhecida por sua cores, servia como um excelente símbolo de identificação aérea para os pilotos da Luftwaffe. Genialidade alemã de comprovada eficácia. Como não podia deixar de ser diferente, mais tarde nesta guerra, nas campanhas em solo europeu, os aliados, em particular o U.S Army, empregariam de meios semelhantes, tais como os painéis I.D, que eram usados sobre os blindados americanos.